Um Restore Ainda Irá Te Salvar

Um Restore Ainda Irá Te Salvar

Um Restore Ainda Irá Te SalvarNo nosso último post “Backup e Restore é o Básico do Básico” falamos sobre a importância dos Backups, pré requisito para podermos restaurar (Restore) arquivos.

São inúmeras as necessidades da restauração de arquivos.   Por exemplo: o equipamento ou a mídia onde o arquivo está armazenado está inacessível ou destruída; um erro de processamento ou operacional ou uma mudança mal feita; o arquivo foi criptografado por um invasor cibernético etc.

Seja lá qual for o motivo um dia haverá a necessidade de restaurar um arquivo a uma posição anterior e será este restore, bem sucedido, que irá te salvar.

Pré requisito do restore

O pré requisito do restore, como citado no nosso post “Backup e Restore é o Básico do Básico” é o backup.   Óbvio não?   Pois é, mas nem sempre.   Um rápido “assessment” identificará que vários arquivos importantes não têm nenhum backup ou o que o backup deixou de ser realizado há algum tempo, meses atrás.   Portanto, como poderemos restaurar o arquivo se o seu backup não foi feito?

O RTO e o RPO

Como já escrevemos em vários de nossos posts o RTO e o RPO são as variáveis que governam o nível de serviço a ser entregue.   De uma forma simples o RTO é o tempo máximo de indisponibilidade tolerado e o RPO é a tolerância à perda de dados.

Normalmente nas operações dos Data Centers a prioridade é a realização o mais rápido possível dos backups, em detrimento a uma eventual recuperação afinal backups são realizados às vezes mais de uma vez ao dia enquanto restores são realizados eventualmente.

Técnicas de backup

Basicamente são duas as técnicas de backup que afetarão significativamente o restore:

  • completo ou “full” – é feita uma cópia completa do arquivo tenha ele sofrido alguma alteração em pelo menos um registro ou não. Portanto, a depender do tamanho do arquivo o backup pode demorar muito tempo.
  • diferencial ou incremental – é feita uma cópia somente das alterações ocorridas no arquivo (as diferenças por isso diferencial) no caso de um arquivo sequencial (flat file) ou das últimas transações realizadas no caso de banco de dados (os incrementos por isso incremental).   Portanto, considerando que somente partes do arquivo completo foram alteradas esta forma de backup será muito mais rápida que a forma anterior.

Como a prioridade das operações dos Data Centers é a rapidez na execução dos backups uma estratégia frequentemente utilizada é a realização de um backup full no final de semana, quando não há grande concorrência dos serviços on line, e de backups diferenciais ou incrementais durante a semana quando a concorrência dos serviços on line é maior.

Sempre há um preço a ser pago

Ao privilegiarmos a velocidade dos backups sacrificaremos a execução dos restores.   Vamos imaginar a seguinte situação, precisamos restaurar um arquivo na quinta-feira.   Assumindo que a estratégia de backup foi diferencial ou incremental então será necessária uma versão base do arquivo – backup full – digamos do domingo mais todos os arquivos diferenciais ou incrementais da segunda-feira, terça-feira, quarta-feira e talvez da quinta-feira dependendo se o backup já foi realizado ou não.   Portanto, quanto mais avançamos na semana (segunda, terça, quarta …) mais demorado será o restore pois haverá mais arquivos e dados a serem restaurados.

Existem programas que consolidam todas estas alterações dos arquivos incrementais ou diferenciais em um único arquivo –“Change Acumulation” – facilitando e otimizando o restore.   Não são todos os Data Centers que utilizam programas deste tipo.

Infelizmente aconteceu – Tem que fazer o restore

Será somente nesta hora que você se dará conta que a estratégia de backup utilizada não atende as reais necessidades de restauração, seja o RTO porque o arquivo base mais todos os arquivos diferenciais ou incrementais demora muito tempo ou o RPO porque a frequência dos backups diferenciais ou incrementais é incompatível com as suas necessidades.

Isto se o restore funcionar.   Alertamos no nosso último post “Backup e Restore é o Básico do Básico” que a grande maioria dos restores nunca foram testados.   Basta uma rápida busca no Google por “restore never tested” para confirmar o que estamos afirmando.   E sabe quando é que serão testados?   Na hora que você mais precisar.   E se não funcionar não haverá nada mais que possa ser feito.

Será o restore quem irá te salvar desde que o backup tenha sido realizado da forma correta e o restore seja sistematicamente testado e validado.

Quer saber mais sobre Planos de Contingência ou Continuidade de Negócios, de Recuperação de Desastres (Disaster Recovery) ou realizar um “assessment” na sua política de backup/recovery?   Por favor preencha o formulário abaixo e entraremos em contato.

#backup     #recovery     #disasterrecovery     #recuperaçãodedesastres     #bia     #analisedeimpacto     #analisedeimpactonosnegocios     #businesscontinuity     #continuidadedenegocios     #rto     #rpo

Compartilhe este Artigo

Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

Um Restore Ainda Irá Te Salvar

Um Restore Ainda Irá Te Salvar Conteúdo ocultar Um Restore Ainda Irá Te Salvar Pré requisito do restore O RTO e o RPO Técnicas de

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies para proporcionar uma melhor experiência para nossos usuários. Ao continuar a navegação neste site, você estará de acordo com os cookies que estão sendo utilizados. Se quiser saber mais sobre nossa política de cookies, clique aqui.