Pior do que está não fica. Será mesmo?

“Pior do que está não fica”.   Será mesmo?

Pior do que está não ficaEmbora as primeiras notícias tenham sido divulgadas no final de 2019, início de 2020, a pandemia da covid-19 tem praticamente monopolizado o noticiário no Brasil há mais de 100 dias, desde o final do Carnaval.   E passado todo este tempo, as perspectivas de um retorno a uma nova normalidade que lembre, mesmo que vagamente, a situação anterior ainda são bastante incertas.

E é neste novo cenário com a mudança radical na vida das pessoas e das empresas devido a quarentena da covid-19 que os eventos totalmente fora do nosso controle continuam acontecendo não só relacionados à covid-19´o que nos faz lembrar o ditado popular “Pior do que está não fica”.   Será mesmo?   Vejamos:

Ciclone Bomba:

No dia 04/07 principalmente a região litorânea do estado de Santa Catarina foi atingida por um ciclone bomba com ventos de mais de 120km/h em algumas regiões, causando mortes, enchentes e muitos danos materiais.   Este foi diferente mas, ciclones extratropicais são frequentes no sul do Brasil, principalmente na região da cidade de Criciúma no sul de Santa Catarina.   Há previsões de novos ciclones extratropicais para os próximos dias.   (https://www.nsctotal.com.br/noticias/o-que-e-ciclone-bomba)

Ataques cibernéticos

Era bastante previsível, e havíamos alertado sobre isto no nosso post “Top 5 Problemas na Contingência do Coronavírus” em (https://strohlbrasil.com.br/top-5-problemas-na-contingencia-coronaviru/), o aumento de ataques cibernéticos com a operação em “home office”.   E são muitas as notícias sobre estes ataques, vejamos alguns:

Caso 1Ransomware Maze anuncia invasão nas redes da CPFL e da LG (https://www.cisoadvisor.com.br/ransomware-maze-anuncia-invasao-nas-redes-da-cpfl-e-da-lg-electronics/)

Os cibercriminosos que operam o ransomware Maze publicaram em seu site informações indicando que a rede da empresa de distribuição de energia CPFL, sediada em Campinas, SP, está comprometida desde maio deste ano. Para comprovar, os operadores do Maze liberaram uma amostra contendo 5% do material exfiltrado da empresa: são 604MB num arquivo comprimido em formato ZIP chamado ‘contratos.zip’.

O grupo apresentou também supostas provas de que invadiu a rede da LG Electronics na Coréia do Sul e de lá exfiltrou grande quantidade de dados. Nesse caso, o grupo exibiu apenas telas obtidas de um dos bancos de dados da companhia, indicando que foram baixados pouco mais de 4GB, representando 1% do total em poder do grupo. Portanto, o total baixado pode ser da ordem de 400GB.

Este mesmo grupo também invadiu o Banco da Costa Rica e a empresa Cognizant que teria pago US$ 70 milhões de resgate.

Caso 2A Light divulgou pelo seu Twitter que foi afetada pelo Ransomware Sodinokibi (REvil).   O ponto de atenção deste ransomware é que ele pode ser contratado como “ransomware-as-a-service” (ou seja, qualquer pessoa pode “alugar” sua infraestrutura para lançar ataques).   (https://thehack.com.br/tudo-sobre-o-ataque-de-ransomware-que-paralisou-a-brasileira-light/)

Caso 3 No dia 06/07 foi divulgado em várias mídias que o Hospital Sírio Libanês, um dos mais conceituados hospitais do Brasil, foi alvo de um ataque cibernético.   Segundo nota divulgada “Planos de contingência já estabelecidos para esse tipo de acontecimento foram rapidamente colocados em prática e o hospital está operando normalmente, com processos alternativos de atendimento aos pacientes”, concluiu o HSL (https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/2020/07/06/sirio-libanes-sofre-tentativa-de-ataque-virtual-de-hackers)

Alertamos que ter Planos de Contingência para Segurança Cibernética é um requisito regulatório para as instituições financeiras, instituições de pagamento e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil pela Resolução 4.658 e Circular 3.909.   Leia mais sobre estas e outras regulamentações em https://strohlbrasil.com.br/regulamentacoes-normas-e-boas-praticas/

Mudanças Climáticas

Você está preparado para as mudanças climáticas que já estão acontecendo e que possivelmente está relacionada com a próxima notícia a seguir?   Sugerimos que você subscreva o DCD Magazine.   O tema da edição 36 é “Are you ready for Climate Change?” (https://issuu.com/dcdmagazine/docs/iss36_digital_version?mkt_tok=eyJpIjoiWW1abFlXWXdOV0prWkRnMyIsInQiOiJZUjVSWFhLZ0drZFwveW5UMVwvc1JoQU4zc1JyZ1grTVpJcnV6RFE4b2poOGN1UDkxQTB0ZUlsalcxWjYrblwvQ3VlQ056QUIzYm9UQVFTZW8zUUpmVWJobE9xWmdDM0I0bVZkTkRlOWdjZTJvKzdITFB0Vmh3REtRb0tBczhoOGd1NSJ9)

Nuvem de Gafanhotos

Uma nuvem de gafanhotos vinda da Argentina estava em direção ao sul do Brasil mas acabou desviando para o Uruguai. (https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2020/06/29/argentina-faz-controle-da-nuvem-de-gafanhotos-e-diminui-quantidade-de-insetos-que-se-aproximam-do-brasil-e-do-uruguai.ghtml)

Uma outra nuvem, que vem causando muitos danos às plantações e consequentemente às populações que dependem destes alimentos, está em deslocamento na África Oriental (https://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2020-07-05/aterradora-praga-de-gafanhotos-na-africa-traz-uma-mensagem-mais-profunda.html)

Pior do que está não fica?   Fica sim.

Poderíamos continuar dando outros exemplos de eventos danosos que continuam acontecendo durante a quarentena do covid-19 reforçando a visão de que o ditado popular “Pior do que está não fica” não é verdadeiro.

Como se diz em estatística, são eventos mutuamente independentes, isto é, a frequência de ocorrência de um tipo de evento é mutuamente independente da frequência de ocorrência de outro tipo de evento.   Num cenário de melhor caso ocorrerá um de cada vez e no cenário de pior caso todos ocorrerão simultaneamente.   Este assunto é abordado no nosso curso “Imersão na Gestão da Continuidade de Negócios – IGCN” (https://strohlbrasil.com.br/imersao-na-gestao-da-continuidade-de-negocios-igcn/)

Voltando ao título deste post Pior do que está não fica chegamos à conclusão que pode ficar sim, na verdade muito pior.   Portanto esteja sempre muito bem preparado com bons procedimentos de resposta a incidentes e/ou emergências, planos de continuidade de negócios e/ou de recuperação de desastres de TI (disaster recovery) e uma boa gestão de crises, que certamente ocorrerão.

Quer saber mais sobre Planos de Contingência ou Continuidade de Negócios, de Recuperação de Desastres (Disaster Recovery) ou Resiliência Operacional?   Por favor preencha o formulário abaixo e entraremos em contato.

 

 

Compartilhe este Artigo

Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

3 Usos da BIA nos Ataques Cibernéticos

3 Usos da BIA nos Ataques Cibernéticos Aparentemente neste período de quarentena houve um aumento significativo de ataques cibernéticos às organizações.   Pode ser somente um

Apetite ao Risco

Apetite ao Risco Introdução Um dos pilares da Continuidade de Negócios (BC) e da Recuperação de Desastres (DR) é o Apetite ao Risco. É baseado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies para proporcionar uma melhor experiência para nossos usuários. Ao continuar a navegação neste site, você estará de acordo com os cookies que estão sendo utilizados. Se quiser saber mais sobre nossa política de cookies, clique aqui.