O Horário de Verão e Papai Noel

O Horário de Verão e Papai Noel

O Horário de Verão e Papai Noel

Imagem de g1.globo.com

Após 34 anos de utilização, este ano – 2019, o chamado “Horário de Verão” não será utilizado em algumas regiões do país.   Não vamos aqui entrar no mérito se é bom ou ruim ou se trás de fato economia de energia elétrica.

O fato é que, com bastante antecedência, o atual governo anunciou que este ano não haveria o “Horário de Verão”.   Todos se prepararam certo?   Errado.   Foram reportados diversos incidentes decorrentes da atualização automática de vários serviços para o “Horário de Verão”.   Sem falar dos incidentes não reportados.

Aqui na STROHL Brasil o serviço de VOIP que utilizamos foi atualizado para o “Horário de Verão” e até agora não foi corrigido para o horário correto.

Adiantar o relógio em uma hora significa fazer desaparecer uma hora no dia.   Para serviços que dependem de horário, uma transação eletrônica por exemplo, esta hora a mais pode significar que você perdeu a janela de tempo disponível e a operação terá que ser feita no próximo dia útil, provavelmente com algum custo financeiro.

E o término do “Horário de Verão” pode trazer problemas?   Claro que sim.   Uma transação iniciada durante o “Horário de Verão” poderá ter o seu horário de encerramento antes de ter sido iniciada devido ao fato do relógio ter sido atrasado em 1 hora.   Bizarro não?   Pois é, computadores não gostam muito que adiantemos ou atrasemos os seus relógios.

Como resolver este problema tão simples, que existe desde que computadores e “Horário de Verão” existem?   Ao invés de usar datas e horários relativos (GMT -03:00 por exemplo) basta utilizarmos UTC – do inglês Coordinated Universal Time (https://pt.wikipedia.org/wiki/Tempo_Universal_Coordenado – Definição) e na hora da apresentação da data e horário na tela ou no relatório utilizarmos a data e hora local.   Parece simples não é?  E de fato é, só que não é largamente utilizada.   Sistemas de navegação global, GPS, satélites todos operam assim.   A grande maioria das aplicações pegam a data e hora dos servidores sincronizados com sabe-se lá o que.   E daí vem estes problemas.

Se para um evento anunciado com meses de antecedência não conseguimos nos preparar direito, você realmente acredita que em uma situação de crise as coisas funcionarão adequadamente?

E em Papai Noel você acredita?

Quer saber mais sobre resiliência organizacional, continuidade de negócios e/ou recuperação de desastres?   Deixe o seu interesse no formulário abaixo e entraremos em contato.

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. O Disaster Recovery num Ataque Cibernético - STROHL Brasil

Comments are closed.