Não testar não é uma opção é um RISCO ENORME

Não testar não é uma opção é um RISCO ENORME

Não testar não é uma opçãoEm abril de 2018 o banco inglês TSB teve um sério problema de TI deixando-o parcialmente inoperante por semanas.   Os impactos decorrentes desta indisponibilidade foram significativos: 16.000 clientes deixaram de fazer negócios com o banco no curto prazo; as perdas admitidas após a primeira semana de indisponibilidade foram de £200m (aprox. R$ 1.100m); as penalidades pós migração de £370m (aprox. R$ 2.000m) e o banco ainda está sujeito a outras penalidades dos reguladores. (mais informações sobre as perdas em https://www.theregister.co.uk/2018/07/27/tsb_reports_loss_100m_it_meltdown_cost_200m/

Normalmente, Continuidade de Negócios/Recuperação de Desastres está associada com desastres físicos (incêndios, alagamentos, desabamentos etc.) quando, numa visão holística, está associada com incidentes de interrupção isto é, qualquer incidente que possa causar uma interrupção significativa está, ou deveria estar, no escopo da Continuidade de Negócios/Recuperação de Desastres, uma grande migração sistêmica como esta por exemplo.   Veja também “Noé parecia um tolo… até o dia que choveu, MUITO!

Não testar não é uma opção é um RISCO ENORME

Segundo o relatório do escritório de advocacia Slaughter and May divulgado em 19/11/19 a causa principal da indisponibilidade foi “que somente um dos dois Data Centers incluídos na migração foi testado”.

Esta decisão, proposta pela empresa de serviços de TI Sabis que conduzia o projeto de migração e aceita pelo CIO e a diretoria executiva do banco, objetivava evitar problemas de indisponibilidade na rede de caixas eletrônicos do banco.

Aparentemente, baseado nas informações divulgadas, não havia um plano de contingência para a migração, se havia não foi eficaz, o que infelizmente não é incomum em grandes projetos de TI que utilizam a consagrada metodologia “ou vai ou vai”.

Depois desta indisponibilidade o presidente do banco perdeu o emprego, outros executivos seniores não ganharam seus bônus e é esperado que o atual presidente divulgue brevemente expressivas demissões e fechamento de agências.

Não testar não é uma opção é um RISCO ENORME

Isto por testes insuficientes (veja outros exemplos aqui), otimismo executivo e riscos assumidos que se materializaram e que poderiam ser mitigados assumindo que a migração poderia não dar 100% certo e, a partir desta premissa, desenvolver os planos de contingência, incluindo os planos de retorno se fossem necessários, e foram.

Bottom line, como dizem os anglo-saxões, os responsáveis diretos foram punidos o que não resolve o problema, o banco TSB teve e está tendo que assumir expressivas perdas e trabalhadores perderão seus empregos por excesso de otimismo técnico e executivo.

Agora você já sabe, não testar não é uma opção é um RISCO ENORME.

Quer saber mais sobre resiliência organizacional, continuidade de negócios e/ou recuperação de desastres?  Deixe o seu interesse no formulário abaixo e entraremos em contato.