7 dicas para enfrentar o coronavírus

O “top influencer” coronavírus no Brasil e no mundo

7 dicas para enfrentar o coronavírusDepois de 2 casos confirmados o covid-19 (coronavírus) é, seguramente, um “top influencer” com certeza no Brasil e talvez até no mundo muito mais pela quantidade de notícias alarmistas e de “fake news” a seu respeito do que pela sua taxa de letalidade.

Já dizia o Sr. Raffaele Morelli (famoso psiquiatra e psicoterapeuta italiano) em entrevista ao Wall Street Italia em 26/02/20 “o medo é mais perigoso que o covid-19 (coronavírus)”.

Vamos a uma série de fatos e considerações para darmos a devida dimensão a esta crise:

  1. Taxa de transmissibilidade:

Segundo o infectologista Dr. David Uip em entrevista no Jornal da Manhã da rádio Jovem Pan no dia 03/03/20 a taxa de transmissibilidade do covid-19 (coronavírus), baseado nos números da China é de 1:3 enquanto a do sarampo é de 1:20.   Até o momento temos, somente, 2 casos confirmados no Brasil enquanto no estado de São Paulo ocorreram no mesmo período 246 casos confirmados de sarampo sendo 76 na base aérea de Pirassununga e uma fatalidade, uma criança sem histórico de vacina.

  1. Taxa de letalidade

7 dicas para enfrentar o coronavírusO epicentro inicial do covid-19 (coronavírus) foi na cidade de Wuham na China, uma região densamente povoada, 8.500 km2 e 11 milhões de habitantes (dados de 2018), o que facilitou a transmissão do coronavírus por toda a população.

A tabela ao lado, divulgada por Ricardo Amorim (não sabemos a fonte desta informação), traz a taxa de letalidade do covid-19 (coronavírus) por faixa etária, baseada nos números da China, ficando evidente que as taxas aumentam a medida que a idade aumenta, sendo bastante significativa para as pessoas com mais de 60 anos.

Estamos acompanhando diariamente os dados divulgados pela – OMS – Organização Mundial da Saúde no boletim Coronavirus disease (COVID-2019) situation reports e a taxa de letalidade média mundial, incluindo a China, é hoje de aproximadamente 3,4%.   Até o momento, a taxa de letalidade fora da China é aproximadamente de 1,5%.

A taxa de letalidade dos vários tipos de “influenza” em 2018 foi de quase 20% segundo dados divulgados no Boletim Epidemiológico de 09/19 da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/setembro/25/boletim-especial-21ago19-web.pdf

A expectativa é que tanto as taxas de transmissibilidade como de letalidade globais devam cair à medida que os demais países implementem os seus programas de prevenção e controle contra o covid-19 (coronavírus).

  1. Medidas de prevenção

    • 7 dicas para enfrentar o coronavírusA transmissão do covid-19 (coronavírus) pode ocorrer até 14 dias antes de aparecerem os primeiros sintomas. Até o momento não há nenhuma confirmação de que o covid-19 (coronavírus) esteja circulando livremente no país.
    • Acesse e divulgue as recomendações de prevenção do Ministério da Saúde em http://www.blog.saude.gov.br/index.php/servicos/54072-prevencao-do-novo-coronavirus-comeca-com-habitos-de-higiene
    • OBS.: é muito comum pessoas não lavarem as mãos após utilizarem os banheiros, certo?
    • A máscara é eficiente? Segundo o Dr. David Uip a máscara comum à venda nas farmácias não tem muita utilidade contra o covid-19 (coronavírus) uma vez que ela vai ficando úmida à medida que vai sendo utilizada e um ambiente úmido é muito propício à sobrevivência de qualquer tipo de vírus.
  1. A economia será afetada?

7 dicas para enfrentar o coronavírusO mercado financeiro precifica tudo.   Da declaração de uma pessoa importante a uma epidemia de vírus.   Devido ao covid-19 (coronavírus) as bolsas mundiais já caíram (algumas já esboçam movimentos de recuperação) e as previsões de crescimento das maiores economias mundiais diminuíram.   Nesses movimentos de queda e posterior recuperação sempre tem alguém ganhando muito dinheiro apostando alto na especulação.

Com toda a região industrial de Wuham fechada por quase 2 meses assim como de boa parte da China é bastante natural uma certa queda na produção principalmente industrial.   Esta produção pode ser facilmente recuperada com aumento nas horas trabalhadas e/ou produtividade o que não é difícil de fazer na China.   Não será surpresa alguma se daqui a alguns meses depois que a epidemia do covid-19 (coronavírus) estiver controlada que as novas previsões de crescimento sejam muito próximas às pré-epidemia, mas sem o mesmo destaque que os de queda como agora.

91.000 pessoas infectadas (até 04/03/20) de um total de 7,7 bilhões de habitantes no mundo (0,0012%) não justifica todo este pessimismo!

  1. E as fake news?

Em tempos das mídias sociais o covid-19 (coronavírus) tornou-se um “top influencer” mundial principalmente pela grande quantidade de notícias publicadas diariamente, a maioria “fake”, o que já criou um novo termo além de epidemia e pandemia a infordemia – “excesso de informação sem conteúdo”.   De igrejas a remédios caseiros (vinagre e chá de camomila) prometendo a cura à situações fora do controle no melhor estilo “quanto pior melhor” tem de tudo circulando pelas redes.

ATÉ HOJE NÃO MEDICAMENTO ESPECÍFICO CONTRA O COVID-19 (coronavírus).

Segundo o Dr. David Uip aproximadamente 1/3 dos infectados serão assintomáticos (porém podendo transmitir o vírus), 1/3 terão sintomas leves e o outro 1/3 sintomas mais graves que poderão exigir internação hospitalar.   E dentro deste último 1/3 estarão os infectados mais idosos e/ou debilitados com outros problemas de saúde que necessitarão de cuidados especiais.

Estamos alertando nos nossos vários posts sobre o covid-19 (coronavírus) o princípio básico da gestão de crise* – a confirmação da informação recebida.   Não retransmita nenhuma informação sem antes confirmar a sua veracidade e a fonte da informação.

* quer saber mais sobre gestão de crises acesse https://www.strohlbrasil.com.br/resposta-a-emergencias-e-gestao-de-crises/

Os profissionais da saúde, de contingência ou continuidade de negócios, de gestão de crises, das mídias etc. tem um papel muito importante na divulgação de informações fidedignas e não na amplificação da intranquilidade da população em geral, outro princípio básico na gestão de crise.

  1. A empresa onde trabalho precisa desenvolver um plano de contingência ou de continuidade de negócios?

Esta resposta é simples, curta e direta.   Se você incluir os procedimentos de prevenção contra o covid-19 (coronavírus) no programa corporativo de contingência ou de continuidade de negócios a resposta é SIM, sua empresa precisa ter e divulgar os procedimentos de prevenção a serem seguidos por todos.

Caso contrário, a resposta é NÃO.   Até o momento não há nenhuma razão fundamentada que justifique a utilização de horas preciosas de trabalho no desenvolvimento de planos de contingência ou de continuidade de negócios específicos para o covid-19 (coronavírus), exceto monitorar a sua evolução e, principalmente, as recomendações do Ministério da Saúde e das Secretarias de Saúde dos estados e municípios, todas trabalhando cooperativamente.

O que a sua empresa já deveria ter é um plano de contingência ou de continuidade de negócios para absenteísmos – ausência de uma quantidade significativa de trabalhadores, seja qual for a causa: covid-19 (coronavírus), greves, enchentes, sarampo, dengue …

  1. O Brasil está preparado? Devo me preocupar?

Conforme esclarecemos neste post até o momento NÃO HÁ NENHUM MOTIVO que justifique esta preocupação exacerbada com o covid-19 (coronavírus).   Isto é um efeito da infordemia e do covid-19 (coronavírus) como “top influencer” global.

O Brasil está acompanhando desde os primeiros momentos toda a evolução do covid-19 (coronavírus).   Você pode acompanhar todas as ações em Linha do tempo: evolução da emergência de corona vírus e ações do Ministério da Saúde em https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

Alguns eventos relevantes:

    • Em 22/01/20 foi ativado o COE-nCoV – Comitê de Operações de Emergência (COE) é ativado em nível 1 de alerta, sem casos suspeitos
    • Em 31/01/20 é acionado o Grupo Executivo Interministerial – GEI-ESP
    • Em 03/02/20 ocorre a 1ª Reunião GEI-ESPII – Grupo Executivo Interministerial em Saúde Pública (GEI-ESPII) e o Brasil declara Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN).

Recomendamos que você acompanhe esta evolução pois há frequentes novidades.

Esperamos que este post tenha sido esclarecedor e útil para você.   Há muitas outras doenças mais graves e que fazem parte do nosso dia a dia com as quais devemos nos preocupar muito mais do que com o covid-19 (coronavírus).

Caso tenha gostado não deixe de compartilhar com os seus pares e pessoas próximas.   Vamos enfrentar o covid-19 (coronavírus) com serenidade, sem alarmismos, “fake news” ou infordemia.

Precisando de mais informações ou querendo acrescentar mais alguma informação útil contate-nos pelo formulário abaixo.

Compartilhe este Artigo

Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

É HORA DE ATUALIZAR O PCN

É HORA DE ATUALIZAR O PCN Após quase 100 dias de quarentena devido ao covid-19 estamos, lentamente, começando a retomar as atividades a um novo

A Continuidade de Negócios Pós Covid-19

A Continuidade de Negócios Pós Covid-19 A pandemia decorrente do covid-19 está impondo significas alterações nos produtos, serviços e processos das organizações.   O novo mundo

A Covid-19 o Elefante e os Cegos

A Covid-19 o Elefante os Cegos é uma adaptação da fábula “O Elefante e os Cegos” publicada no blog Pense Bem e adaptada ao contexto da

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies para proporcionar uma melhor experiência para nossos usuários. Ao continuar a navegação neste site, você estará de acordo com os cookies que estão sendo utilizados. Se quiser saber mais sobre nossa política de cookies, clique aqui.